Ir para o conteúdo principal

Você está aqui

Nós nos preocupamos profundamente com a integridade de nossos produtos e nossas ações, e quando se trata de bem-estar animal, compartilhamos a crença de nossos consumidores de que testar produtos para cuidados pessoais e cosméticos em animais deve ser uma prática ultrapassada.

A Johnson & Johnson Consumer Health não testa produtos ou ingredientes para cosméticos ou para cuidados pessoais em animais em nenhum lugar do mundo, exceto em raras situações onde exigido por lei.

Acreditamos que a saúde humana e o bem-estar animal não são mutuamente excludentes. Embora devamos cumprir os requisitos legais e regulamentares locais, estamos comprometidos em defender a eliminação dos testes em animais como um requisito de segurança cosmética globalmente. Ao fazer parcerias com as principais organizações de pesquisa em todo o mundo para desenvolver e promover tecnologias de teste alternativas, estamos dando os passos necessários para eliminar a necessidade de testar quaisquer ingredientes ou produtos para cuidados pessoais ou cosméticos em animais.

Nosso compromisso com essa questão remonta a muitas décadas:

  • os cientistas da Johnson & Johnson foram os primeiros a substituir o teste de irritação dos olhos dos animais, o que levou à criação do nosso xampu JOHNSON'S® NO MORE TEARS®.
     
  • Durante os 21 anos que a Johnson & Johnson tem sido patrocinadora do Instituto de Ciências In Vitro (IIVS), um laboratório de testes de segurança sem animais e que treina profissionais em métodos de testes que não envolvam animais, mais de 1.000 cientistas e reguladores foram treinados em todo o mundo.
     
  • A Johnson & Johnson apoia o Centro de Alternativas para Testes em Animais (CAAT) do Johns Hopkins, que tem uma missão semelhante: criar e validar alternativas para testes em animais e prover educação sobre esses métodos.

O mundo ainda não está livre de testes de cosméticos com animais, mas nós da Johnson & Johnson Consumer Health estamos orgulhosos de fazer parte da solução. Estamos sempre nos esforçando para fazer melhor quando se trata dessa importante questão, e continuaremos defendendo firmemente o desenvolvimento de métodos de testes alternativos validados – e sua aceitação pelas autoridades em todo o mundo.